Bom pessoal, não é novidade para ninguém o que vem acontecendo em relação ao compartilhamento de arquivos na internet tais como livros, musicas, filmes, softwares, etc... Acredito que estamos sendo vítimas de um sistema de pagamento de direitos autorais que não se encaixam mais nos padrões atuais e que deveria haver uma outra forma do criador não ficar no prejuízo com o livre compartilhamento de suas obras. Muitos artistas como Radiohead, por exemplo, lançam seus albuns diretamente na web para livre compartilhamento lucrando somente com os shows. Há casos de escritores que ficaram famosos graças a publicação de seus livros na web. Minha pergunta é: Como permitir o livre compartilhamento de arquivos sem levar prejuízos a seus criadores? Como os criadores poderiam arrecadar receita de seus livros, CDS, filmes... sem o sistema de pagamento por direitos autorais que temos atualmente? Será que conseguimos buscar uma solução para isso? Agradeço a todos que puderem participar e dar novas ideias para a nova realidade da internet.

perguntou Apr 09 '12 às 13:38

Morato's gravatar image

Morato
115590

editou Apr 10 '12 às 23:29

Schultz's gravatar image

Schultz
78161.7k

Se a gente for pensar, até mesmo tirar uma cópia Xerox não deixa de ser pirataria. No caso dos músicos, ainda há a possibilidade de ganhar dinheiro com shows e abrir mão da venda de CDs, coisa que alguns ainda tentam fazer. O mercado mudou, a realidade mudou. Os que entenderam isso ganham mais hoje do que na época em que vinil e CD eram febre. Recentemente minha empresa patrocinou alguns shows de artistas que estão em alta no cenário nacional e descobri que apenas um deles, o qual não vou revelar o nome, faturou em um final de semana mais de 1 mi. Quanto tempo um cantor levaria para ganhar isso na época do CD? Eles reinventaram a forma de lucrar e deu certo. Já no caso dos livros é um pouco mais complicado... se a pessoa tem acesso ao conteúdo, o que o autor vai vender? Palestras? Talvez no caso de livros de treinamento ou auto-ajuda, mas e nos de ficção?

link permanente

respondeu Apr 09 '12 às 15:38

Pontelli's gravatar image

Pontelli
47516510.3k

Verdade. E no caso dos músicos as gravadoras ganhavam com as vendas dos CDs pois pagavam um contrato com o artista para a gravação do álbum e entre outros suportes na época. Acho que em nossa realidade muito disso mudou. Até mesmo a forma de produzir e distribuir um CD. Mas voltando a questão do livro, realmente fica difícil de conseguir, mesmo em palestras e etc. Pq nem todos tem e alguém precisa pagar a conta. Acho que se alguém bolar uma forma do autor ganhar de uma vez só pelo trabalho de um livro ou através de uma forma mais inteligente de se recolher o que lhe é devido em copyrights a coisa vai tomar um novo rumo. Talvez a gente não consiga ver uma forma disso acontecer agora, é parte disso seja pq temos só como referencia como é cobrado atualmente, mas ainda acredito que pode aparecer uma forma completamente nova que se encaixa nos padrões de nosso mundo atual. Novas idéias que podem revolucionar não só a internet mas como toda a lei de direitos autorais. Obrigado pela resposta Pontelli. Com certeza foi de grande contribuição.

Morato's gravatar image Morato (Apr 09 '12 às 16:06)

Acho que o iTunes é o melhor exemplo de como ganhar dinheiro com direitos autorais. E música é um ótimo exemplo também.

Existe o trial, existe a experimentação, existem as versões gratuitas e existem as pagas.

O serviço é tão bem prestado e de tamanha confiabilidade, que o usuário não tem a menor dúvida na hora de decidir comprar. E mesmo podendo piratear, decide pagar pelo que pode.

Isso porque diferente do que pensam a autoridade, a maior parte dos usuários quer sim poder pagar pelo que adquire na web, só não tem condições ou tem permissão para tal, como era o caso dos apps da APple no Brasil até semana passada.

link permanente

respondeu Apr 09 '12 às 16:14

Rebecca's gravatar image

Rebecca ♦♦
28305114.7k

Verdade Rebecca. O que acontece muitas vezes é que o preço elevado, principalmente para nós brasileiros, nos desencoraja a aquisição. Um game, por exemplo, que custa U$$ 49,90 lá fora com impostos custa R$ 299,00 aqui. Será que ao invés de gastar milhões em combate a pirataria nos mais variados meios não seria mais "inteligente" converter esses gastos em incentivos fiscais para um preço mais acessível para população como estão fazendo com os CDs e DVDs nacionais? Os impostos aplicados a importação não deveriam ser repensados nesses casos (já que não há produção de games como o citado no mercado interno e não haveria concorrência desleal com os produtores locais)? Obrigado Rebecca e desculpe o blá blá blá! ^^

Morato's gravatar image Morato (Apr 09 '12 às 17:11)
Sua resposta
mudar para preview

Siga esta pergunta

Por Email:

Uma vez que você entrar você poderá se inscrever para todas as atualizações aqui

Por RSS:

Respostas

Respostas e Comentários

Markdown Básico

  • *italico* ou __italico__
  • **negrito** or __negrito__
  • link:[texto](http://url.com/ "Qual é a sua dúvida?")
  • imagem?![alt texto](/path/img.jpg "Qual é a sua dúvida?")
  • lista numerada: 1. Foo 2. Bar
  • para adicionar uma quebra de linha basta adicionar dois espaços onde você gostaria que a nova linha estivesse.
  • tags HTML básicas também são suportadas

Tags

×3,068
×827
×483
×146
×111
×63
×42
×5
×2
×1

pergunta feita: Apr 09 '12 às 13:38

pergunta lida: 2,860 vezes

última alteração: Apr 10 '12 às 23:29